• ---
  • Máx: ?
  • Min: ?

  • ---
  • Máx: ?
  • Min: ?

Município

Aspectos Fisicos e Territoriais

Publicado em 02/10/2013 às 17:23 - Atualizado em 09/01/2019 às 15:55

Passos Maia localiza-se na região Oeste de Santa Catarina. Possui uma área territorial de 588,6 Km quadrados e está a uma altitude de 800 metros acima do nível do mar. Fundado oficialmente em 12 de dezembro de 1991, ao desmembrar-se na época de Ponte Serrada, a formação populacional da região onde hoje se encontra o município foi iniciada pelos índios caingangues, caboclos, com a chegada de paulistas, paranaenses e imigrantes italianos. A história do povoamento pode ser contada a partir de 1930. De origem italiana, os primeiros colonizadores vieram do Rio Grande do Sul, atraídos pelas terras férteis localizadas no Vale do Rio Chapecozinho, a erva-mate, grande quantidade de madeira e os baixos preços das terras. Teriam chegado abrindo carreiros no mato, com foices e facão, a cavalo, carroça ou a pé. Com a ocupação dos campos que à época pertenciam a Palmas (PR), a partir de 1940 começaram a vir também fazendeiros paulistas, juntamente com outros da região de Palmas. Tendo como base da economia o pastoreio, buscaram se fixar nos campos, transformando grande parte deles em fazendas.

O atual território de Passos Maia foi também trajeto de tropeiros, sendo que a primeira denominação da vila, chamada Bebedouro, teve o nome em razão do  lajeado que servia de bebedouro aos animais e pousada para os tropeiros que passavam pela região. O atual nome do município, Passos Maia, é em homenagem ao delegado regional com sede em Cruzeiro, hoje Joaçaba, que assumiu a região correspondente a todo o Oeste de Santa Catarina em 1924. O coronel Manoel Nascimento dos Passos Maia também foi prefeito, deputado estadual e federal.

O comércio local teve origem em meados da década de 1940. Nos dias atuais, é formado por bancos, farmácias, lojas diversas, restaurantes, panificadoras, lanchonetes, lotérica, salões de beleza, bazares, lava-carros, posto de combustível, borracharia, chapeação, cartório, despachante, escritórios contábeis, empresas de transporte, consultório odontológico e rádio. Pela predominância rural, a atividade econômica está baseada na agricultura, pecuária, reflorestamento e indústria.

O município tem também uma forte ligação com a questão cooperativista, tendo em nossos dias as seguintes cooperativas: Cooperativa dos Pequenos Produtores de Leite do Vale do Chapecozinho (Coplavale), Sicoob Valcredi Sul, Cooperativa de Produção e Consumo Concórdia (Copérdia), Sulcredi Crediluz e Copoperativa dos Produtores da Agricultura Familiar (Coperfam).

Assentamentos e comunidades

Em 1988 foram assentadas no município as primeiras 12 famílias oriundas das áreas de ocupação de terras, as quais se fixaram na localidade da Fazenda Sapateiro e formaram o Assentamento Sapateiro I. Em 11 de julho de 1991 foram assentadas mais 13 famílias, a maioria vindas do município de Galvão, constituindo o Assentamento Sapateiro II. No mesmo período, mais 11 famílias de Ponte Serrada foram assentadas na Fazenda Taborda, dando origem ao Assentamento Taborda.

No dia 29 de novembro de 1990 chegaram a Passos Maia 12 famílias vindas de diferentes regiões de Santa Catarina, originando o Assentamento Quiguay. No dia 20 de novembro de 1995 vieram para o município outras 900 pessoas numa grande ocupação de terras na localidade da Fazenda Ameixeira, organizada pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST). Essa foi a segunda maior ocupação de terras registrada até então em Passos Maia, com pessoas de 32 lugares diferentes.

Outras ocupações ocorreram no ano seguinte, sendo a maior na região onde atualmente é o Assentamento Maria Rosa, quando no dia 30 de agosto de 1996 chegaram aproximadamente 1.200 trabalhadores sem terra na Fazenda Stella. Permaneceram por 15 dias e foram remanejados para a Fazenda Pecom, numa nova ocupação organizada pelo MST. Atualmente são 448 famílias assentadas em Passos Maia, numa área territorial de 7.849.576 metros quadrados.

Turismo

O município possui forte potencial para o desenvolvimento do turismo, tendo como principais atrações turísticas as fazendas, em algumas existindo ainda taipas feitas de pedra, projeto de turismo rural e prática de jet ski no camping do Rio Chapecó, onde está localizada a ponte Horácio Ribas Maciel, chamada Ponte Baixa.

Com o surgimento do Parque Nacional das Araucárias, o turismo vem se fortalecendo e despertando a curiosidade das pessoas. O parque localiza-se parte no município de Passos Maia e parte em Ponte Serrada. É uma das maiores reservas de araucária do mundo, com uma área contínua de 12.841 hectares.

A espécie da flora brasileira predominante no parque é a araucária, ameaçada de extinção. Outras plantas presentes no e que estão ameaçadas são a imbuia e o xaxim. Também podem ser encontradas diversas espécies de animais, várias também ameaçadas e outras com população reduzida. Entre elas, o bugio, o gato-do-mato-pequeno, o puma, o veado poca e a jaguatirica.

Posteriormente à implantação do Parque Nacional das Araucárias, foi implantado o Projeto de Proteção do Papagaio-do-peito-roxo, através do Instituto Espaço Silvestre. Uma organização não governamental que desde 2010 dedica-se ao projeto.

Após dez anos da criação do Parque Nacional das Araucárias, no dia 25 de outubro de 2015 o parque foi aberto para visitação, tornando-se oficialmente ponto de turismo ecológico. Há também pontos com rotas de trilheiros e cavaleiros, onde são realizadas trilhas de motoqueiros e cavalgadas.

Outros pontos de visitação interessantes são a Igreja Matriz São Jorge, a Praça Municipal 12 de Dezembro (com duas partes distintas, uma com árvores nativas outra com árvores ornamentais), as Grutas Nossa Senhora de Lourdes, na Linha Gruta e Dom Carlos, a  Igreja São Valentim, na comunidade Rio do Poço, o Memorial do Padre João Botero e a Pinguela sobre o Rio Chapecozinho.

As festas típicas também fazem parte da cultura do município, como o Festival da Canção Passosmaiense (Fecap), Rodeio Crioulo Interestadual, Feira da Novilha, Festa da Mandioca e Jantar do Leitão, além de diversas outras festividades que vão se tornando tradicionais nas comunidades.

 

Prefeitos e vices

 

1993/1996 – Antônio Abílio Mantovani (prefeito) e Osmar Tozzo (vice)

1997/2000 – Osmar Tozzo (prefeito) e Rosani Fátima Falchetti (vice)

2001/2004 – Ivandre Bocalon (prefeito) e Adiles Joana Marini (vice)

2005/2008 – Osmar Tozzo (prefeito) e Norino Nervis (vice)

2009/2012 – Osmar Tozzo (prefeito) e Norino Nervis (vice)

2013/2016 – Ivandre Bocalon (prefeito) e Leomar Roberto Listoni (vice)

2017/2020 – Leomar Roberto Listoni (prefeito) e Edemar José Michelon (vice)